07 junho, 2017

Espera


Ouço os teus passos a virem ao encontro do meu desejo, estremeço a cada passada forte e segura que ecoa no quarto. Espero te ali, mergulhada na espera do inevitável, afogando me em delírios que criteriosamente fizeste crescer na minha mente.
Sinto a tua respiração perto deste corpo que reage ao doce compasso que a espera tem em mim, reage à pausa que propositadamente fazes antes da tua pele se apoderar da minha. Antes que faças tua esta minha carne que dominas.
Antes de te entregar por momentos a minha liberdade para que me tomes e me leves pelos mais loucos caminhos da perdição.

02 junho, 2017

Tu


A diferença entre ti e o Mundo está nas coisas mais simples e ao mesmo tempo as mais imprescindíveis. 
Está na forma como os teus abraços são aconchego e não são braços que apertam.
É a forma como a tua energia magnetiza o meu corpo, a forma como a tua alma me vê, como os teus olhos me penetram, como as tuas mãos me incendeiam.
Está na forma como o teu corpo encaixa no meu, mas principalmente como a tua aura encaixa na minha. 
Está na harmonia do beijo, na tranquilidade das mãos dadas. Está nas palavras que dizes e ainda mais nas que calas.
É na subtileza do sentimento assim como no furacão dos sentires.
Está na forma como és, e não na forma como te vês. 

01 junho, 2017

Porque aqui tudo é permitido!




Sim, aqui há espaço para tudo, até para estas temáticas mais sérias. 
Questiono me onde nos perdemos, onde foi a nossa humanidade, porque só a usamos como adjectivo daquilo que um dia fomos. 
Ou será que nunca fomos? Será apenas privilégio de alguns? 
Hoje é dia de pensar nos milhões de crianças, que não o podem ser, mesmo sendo hoje o dia delas.
Aquelas que o destino quis que nascessem num país que não olha para elas, aquelas que hoje não tiveram uma refeição idêntica sequer à tua, aquelas que hoje não terão carinho da mãe ou do pai, aquelas que não têm uma família, aquelas que até podiam ter tudo mas que ficaram sem nada violentamente, aquelas que mesmo sem nada, são tudo!
Das crianças que não brincam como o meu filho, nem como o teu, porque não lhes é permitido. Hoje é dia de olhar para o lado e agradecer ter nascido com direitos, dignidade, igualdade, prosperidade. 
Os seres maravilhosos, únicos, especiais cheios de força e vida, puros e sensitivos que hoje vemos serão o nosso espelho amanhã. Que estejamos à altura de olhar no espelho e que a imagem do futuro seja límpida! 
Que deixemos de ensinar o ter para fomentar o ser. Que não as contaminemos com princípios deturpados, com ideais sociais deploráveis em que o palpável, a matéria é Rainha e Senhora em detrimento do que realmente é de verdade.
Feliz Dia da Criança, para "aquelas" porque os nossos podem sê lo todos os dias.

"Que quem já é pecador...
Sofra tormentos...enfim!
Mas as crianças Senhor...
Porque lhes dais tanta dor?
Porque padecem assim?"

Augusto Gil

30 maio, 2017

Vem


Vem (te) comigo,  para mim, em mim, até sem mim. Vem (te) com tudo, em tudo, mas sobretudo vem.
O importante é vires...

27 maio, 2017

Escravidão


Pele que se dissolve na demência dos desejos, na relutância das palavras não ditas, mas sentidas até ao esgotar de todas as letras. Sons emitidos entre lábios que se pressionam na tentativa de omitir em si o grito do prazer descontrolado.
Derreto me em flashes delirantes das tuas mãos que se perdem em mim, esculpindo detalhadamente os porquês da nossa existência neste espaço temporal. 
O teu corpo como solo árido, envolto agora em fertilidade quando o meu magnetismo te atrai os sentidos. Quando os meu sentidos mergulham involuntariamente nos teus.
Neste entrelaçar impetuoso de quereres inadiáveis, presos ao aqui e agora. Ao que se quer urgente. Ao que se quer já. 
Escravos da necessidade da fusão dos corpos.